domingo, 14 de junho de 2009

Fala…

Quem te conhece? Esse teu barulho, tuas pessoas, não sabem ouvir teu silêncio. Não se importam em te compreender. Tua sensibilidade precisa ser suprimida pra tu não incomodar ninguém. Porque todos os ninguéns não sabem lidar consigo mesmo, com as suas companhias. Tu, inteira e ao avesso, só seria um problema ignorado. E tu precisas beber, rir, dançar, te dar e não saber o que faz, ou repudiar o que tu faz, pra te sentir menos tu.

Sei que não estás bem. Sei que não queres falar. Sei que desabafar não te deixaria melhor. Sei que não te entendem. Sei que te querem rindo e tu queres chorar. Sei o que te faria melhor. Sei te escutar. Sei o que irias dizer. Sei que não vais dizer. Sei que é por orgulho. Sei da tua pretensão. Sei da minha. Sei que tás confusa. Sei que querias diferente… Sei que finjo certezas na esperança de tê-las contrariadas, na esperança de qualquer coisa tua.

4 comentários:

Valdemir Reis disse...

Amigo Tiago olha eu aqui visitando, passando para agradecer sua atenção e amizade. Acredito que a verdadeira amizade nunca se desgasta, portanto assim quanto mais se dá mais se tem. Quem segue acompanhado de um amigo vai mais longe, muito além... Parabéns pelo bonito e inteligente blog. Aproveito para compartilhar com você de Esmeralda Ferreira Ribeiro;
“ Força de viver...
Grita ao mundo
a tua alegria,
a tua generosidade,
a tua disponibilidade,
a tua força de amar.
E daí,
a tua confiança,
a tua esperança,
a tua disposição de lutar.

Diz-lhe
que vale a pena viver,
que a grandeza está no ser,
e é preciso acreditar
que a vida é causa maior.
E assim,
o efêmero vai passar,
mas o que fizeres de perene
jamais se pode perder,
é autêntico valor.”

Obrigado, a casa é nossa, volte sempre! Também de todo coração votos de um excelente e animado fim de semana. Paz, saúde, proteção, prosperidade e muitas bênçãos. Fique com Deus, um forte e fraterno abraço. Brilhe sempre!!!
Valdemir Reis

d. disse...

Parece-me a mim, que no fundo, conheces melhor essa tal pessoa do que ela própria julga *

(já agora, muito obrigada pelo comment no meu espacinho, gostei da frase)

Melina F. disse...

Fiquei impressionada com o que escreveste. A semelhança do que sinto é estrondosa.
Beijo grande.

Jaya disse...

Eu matei essa "esperança de qualquer coisa tua", relacionada a alguém.

Fico querendo diferente, por aí.

Beijo, moço.