quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Superaudição

Ouvi:
O bater de asas de uma mosca
A luz do sol sofrendo refração na janela
Um enxame de zês embalando o sono de um bebê
A verdade universal que pôs fim à dúvida de onde-viemos-para-onde-vamos
O amor batendo os quadris de um casal de velhos
Ouvi o pisca-pisca vagaluminoso das árvores de Natal
E a Rainha de Copas gritando: "Cortem a cabeça!"
Escutei o passar das páginas de um livro velho, de capa dura e letras desbotadas
Ouvi uma mangueira pretensiosa germinar
E o farfalhar das águas tranquilas da baia do Guajará na Estação das Docas
Tenho quase certeza que ouvi meu silêncio, entre o estômago e o cóxis.
Mas minha memória é fraca e já esqueci como eram os sons de tudo, exceto o barulho de uma Coca-Cola nova borbulhando em um copo de felicidade.

6 comentários:

Renato Ziggy disse...

Postei um comentário pelo celular, mas não sei se foi. Vou mandar de novo pelo PC.

Imaginei você deitado, olhando com os ouvidos toda a vida que passava lá fora. A riqueza dos detalhes é realmente o charme do texto.

PS: Continuar o quê? :D

Gyzelle Góes disse...

Eu acabei de escutar o som da verdadeira poesia me enchendo o peito com a vontade de ler mais disso todos os dias.

Renato Ziggy disse...

Tiago,

Fazia quase um ano e meio que não escrevia nada. Vamos ver se consigo manter uma certa regularidade na escrita. Rsrs!

Beijo!

Fábio Murilo disse...

Fiquei maravilhado cara com sua escrita. Originalíssimo! Estilo super próprio! Tá, esse poema queria ter escrito, Parabéns!

Simone Lima disse...

Tiago, você se garante ;))

Bjoo'o

Vinícius R. Rodovalho disse...

Interessantes, as coisas que o seu eu lírico ouve. O que vi em comum entre elas, e que também me encanta, é o "mistério por trás", a "verdade", o "conhecimento em si". As leis da física, do sono, do sonho, da fantasia, a filosofia... são muitos mistérios do mundo abordados em um único poema. E tamanha complexidade traduzida em pequenas passagens.

"Eram os deuses astronautas?" - não tem muito a ver, mas seu escrito trouxe esse título à minha memória, mais de uma vez.

Muito bom! Te encontrei no blog da Jaya e vim conferir. Valeu à pena! =)