quarta-feira, 14 de maio de 2008

Graças, à luz.

Em nome de todas as minhas certezas idiotas e refutáveis,
Pelos meus pés fadados, descalços, exaustos de se fundirem a vidro,
Por meu tempo vão e inútil dispêndio em projetos arruinados,
Dispensando a corrente que é minha intransigência imoral e estúpida,
Revogando meu desleixo e ignorando minhas expectativas,
Adorando o tempo.
Adorando... Adorando... Quero o logo, depressa.
É. Eu descobri que a vida, o tempo, os sentimentos e todo e cada parte do resto existe em cada grão de tempo.
E os minúsculos pedacinhos de existência são o que há de mais importante.
E eu consegui ignorar tudo em nome da parte maior, sem saber (ou não querendo saber) que depois é só o agora destruído. E eu não preciso esperar pra tê-lo, o mais tarde acontece já.
E eu descobri (e não foi graças a mim) que momento a momento eu pulso, e as cargas de energia me dão vida.. Dão-me tempo... Dão-me luz.. Dão-me tudo, porque tudo está ao alcance... Eu só tive receio de pega-lo, tive receio de não agüentar.
Luz ofusca os olhos. Eu descobri que é preciso saber usá-la, manipulá-la, gravá-la e escrevê-la com doses enormes de realidade e sensibilidade pra ver o invisível.
Descobri, acho que descobri, espero ter descoberto: adoro quem faz a carga intensa que é a luz, não cegar, mas iluminar a ponto de me revelar o que eu, por incapacidade, quis não crer: A vida não é manipulada pelo tempo, o tempo é escravo e fantoche da vida.

7 comentários:

Arthur Nogueira disse...

Tiago,
contrariando o título, acho seu blog profundo e existencialista. Bem escrito. A parte da luz é bonita e me lembrou um trecho de "Benjamin", do Chico Buarque, onde ele comenta que, no escuro, o que vemos se confunde com o que imaginamos. E essa é a única forma de ver o invisível. Parabéns pelo blog.

Dea disse...

"tempo,tempo mano velho."

nunca dá tempo (ou apararentemente não dá) pra fazer as coisas que realmente importam.
a questão é o seguinte,o tempo que deixamos passar nos passará lá na frente ?

:*

Violeta disse...

Escravo dos devaneios mentais, tu é...
Aproveite, isso é raro !
Obrigada pela visita e pelas palavras no meu Quintal, tããão simples perto da tua casa.
=)
beijo
.

Violeta disse...

A alegria verdadeira não tem explicação possível, não tem a possibilidade de ser compreendida -e se parece com o início de uma perdição irrecuperável.
.
Talvez isto nos console,rs
.
beijo

Violeta disse...

Eu sou assombrada pelos meus fantasmas, pelo que é mítico, fantástico e gigantesco: a vida é sobrenatural.
E respeito muito o que eu me aconteço. Minha essência é insconsciente de si
própria e é por isso que cegamente me obedeço
.
=*

Be* disse...

Tiago,
você escreve divinamente.E intensamente.Sua luz,além de iluminar,acaricia.É bem isso,sinto-me acarinhada com a leveza que você deu ao tempo e as expectativas.
Muito lindo!

Beijo.

Kibe Frito, Óleo Antigo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.