sexta-feira, 14 de março de 2008

De mim para eu.

_ Escuro aqui dentro.

_ Te acostumaras. A escuridão é ínfima.

_ Para mim não. Lugares estranhos não me agradam. Sei que são caminhos que levam a destinos inóspitos.

_ Não sabe aonde chegará, como sabe que é inóspito? E não será a luz, que nascerá esporadicamente até a escuridão tornar-se sombras sólidas, e nada mais que sombras sólidas, que fará o ambiente ser menos estranho, talvez o contrário.

_ Já estive em lugares parecidos. E é sempre, sempre é confuso, me perco, não sei o que minhas mãos tocam, nem onde pisam meus pés, aliás, nem tenho certeza se pisam. Sinto-me levitando, solto feito fumaça. Como fumaça espalhando-se até ocupar todo ambiente, confundo-me com ele, me confundo com a escuridão. Confusões não me agradam também, me fazem mal.
Já andei por caminhos parecidos, sei aonde levam. E o que fará do caminho menos estranho?

_ Sabe? Pois me conte, eu não sei. Pensei que fosse inteligente o suficiente para saber que não sabe. Precisa conhecê-lo.

_ Cheguei a vales desertos, e fiquei sozinho... Não! Lembro-me agora. Estavas comigo. Sim, estavas, sempre esteve.

_ Exatamente. Não conheces.

_ Conheço! Fiz parte dele!

_ Eu sei. Sou o escuro. Não conheces.

3 comentários:

bernard disse...

É realmente tenho que ver a menina do sinal na boca, tenho que ficar pensando nela pq ela pode sair a qualquer momento!!
em meio a escuridão, os dois sentiram a mesma sensação!
Como seria conhecer lugares que pensamos.

Sidereus Nuncius disse...

"muita luz é como muita sombra: não nos deixa ver"

Sidereus Nuncius disse...

fale gordinho!!
fico satisfeito em ver q ta participando mais la do sidereus
enfim, eu gravo saikano pra vc, sim, ja sei gravar, mas nao dvd, pq tem q converter, eu gravo e vc ve no pc mesmo
se quiser assim me arranja um cd virgem
eu disse: virgem!