terça-feira, 19 de agosto de 2008

Eterna Ânsia.

Dedico a ti: metáforas grosseiras; linhas tortas; delírios ilimitados; mentiras lindas; horas vãs; segredos íntimos; coreografias exaustivamente ensaiadas; torturas ternas; bobagens divertidas; dramas líricos; cenas de ação; diálogos metalingüísticos; ócios enlouquecedores; sorrisos falsos; verbos de ligação; esperas intermináveis; fraquezas explícitas; enganos anestésicos; rimas de merda; dias sem início ou fim; lágrimas raras; contradições justificáveis; mensagens subliminares; desesperos secretos; as cicatrizes imortais; alegrias medíocres; perfumes doces; batidas fortes; a parte maior do todo; o resquício de vida; os desejos reprimidos; as cores mais vivas; a melancolia amiga; os votos falsos; as escolhas aleatórias; a saudade do que nunca existiu; as ironias idiotas; o cheiro de chuva das madrugadas; os tons de cinza; a franqueza desnecessária; o medo do desconhecido; os erros imperdoáveis; a esperança burra; a mudez opcional; o barulho interno; as atitudes infantis; as condenações preconceituosas; os pensamentos que não são teus; as abstrações surreais; o conhecimento mais miserável; os exageros mais escrotos; a estrada de palavras embaralhadas - mais caminhos que fins.

A ti que é alimento, que me faz sobreviver, me machuca, me desilude, me fere, e que me lembra; a ti, que apesar de teres ganhado algumas belas formas, não tem nome; a ti que não tem lugar no espaço-tempo; a ti que é o que mais quero, apesar de desconhecer-te; a ti que me ignora; a ti que eu clamo: dedico a ti, da pessoa mais covarde de coração mais estúpido, a mais sincera poesia.

14 comentários:

Mariana disse...

A poesia merece....


beijos

Vendaval disse...

Todos os corações que transbordam poesia são estúpidos,e aí está a beleza: de não se importar. Não existe desmérito nenhum nisso.

p.s.: claro que abstive, comentário que dispensava qualquer pontuação :)

Camila disse...

"...dedico a ti, da pessoa mais covarde de coração mais estúpido, a mais sincera poesia."
Também tenho essa mania de dedicar poesias...
Adorei seu texto.
BeijooooOO

caminhante noturno disse...

textos de que filme procuravas que achaste o meu blog?

:)

Déh disse...

otimo texto. faz tempo que nao escrevo, perco minha inspiração por um coxilo em qualquer canto da casa. hihi

caminhante noturno disse...

aaah sim, é um dos melhores nacionais que já, acho que foi o melhor na verdade, talvez só perca para Terra Estrangeira, que é lindo também, só não é tão poético.

caminhante noturno disse...

ps: esqueci de comentar sobre alguns textos teus:

consegues o que poucos poetas ou escritores ou simplemente alfabetos conseguem: construir um texto que fere profundamente o leitor (ferir não só no sentido de dor e sim de tocar as entranhas).

caminhante noturno disse...

pois então, não exagerei ao escrever o elogio, até porque não foi um elogio, a intenção primeira não foi elogiar e sim dizer o que achei, considera-se somente uma opnião mesmo, podes ter achado exagerada, mas foi o que senti, eu sou uma pessoa exagerada naverdade, em tudo, mas que seja, não vem ao caso...
não ouviste falar em Terra Estrageira? pois alugue, tem um outro chamado Abril Despedaçado que está na minha lista de melhores também, sei lá, se tiveres curiosidade, veja. vale muito a pena.
eu gosto quando se identificam com as coisas que eu escrevo, as vezes me sinto tão diferente das pessoas por causa dos meus sentimentos e das minha atitudes, aí quando acontece de se identificarem percebo que não é bem assim.
:)

caminhante noturno disse...

anh...
o que seria filosofias de banheiro?
ou pelo menos a idéia disto se baseia em que?

Vendaval disse...

com certeza não me enches.

Filipe Garcia disse...

Gostei desse romantismo racional. Não tem como oferecer só coisas boas. Quer a pessoa por inteiro? Então receba também os defeitos e as esquisitices dela junto. Foi essa a minha leitura do texto.

Gostei também da brincadeira com as palavras. Ficou muito bom!

Abraço

3ernard disse...

tou viajando ainda, isso foi o cotidiano de alguém..

Gabi disse...

Tão lindo esse post. Também gostei bastante do anterior "Para a Menina". Acho que dizer que você escreve muito bem seria eufemismo.

Obrigada pelo comentário, e tentarei escrever coisas menos abstratas :)

Anônimo disse...

Por que nao:)