quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

O Dia Em Que Nos Olharmos.

Ahn, sei que quem entra por aqui não espera ler isso... Mas nesses dias eu só tô conseguindo pensar e dar meu tempo à música. Acho que tenho outra paixão, afinal.
Tô com um monte de idéias na cabeça, o problema é que, diferente da escrita, essas eu não posso por pra fora sozinho.
O próximo post será um texto bem bonitinho, prometo.
Enfim, falem mal.




Eu quero ver o céu desabar
Sobre as nossas cabeças entupidas
E quando desistirmos da salvação
Veremos os segredos escondidos
Confinados pelo medo do tempo

Eu quero ver o oceano lavar
Nossa imundice tão humana
O estrago de ambições idiotas
Para dançarmos finalmente livres
Em cima do mundo revogando

Eu quero ver o vento varrer
Cada dejeto inorgânico
Nós sorriremos realizados
Vendo o que levantamos
Ser destruído e nunca mais desejado

Eu quero ver a terra se abrir
Sob os nossos pés descalços
Perdoaremos nossos pecados
Talvez nós demos as mãos
Para cairmos todos juntos extasiados

Eu quero ver nos olharmos em prantos
E nós nos benzeremos com lágrimas
Chorando pelo que fomos.

12 comentários:

Lizzie disse...

Gostei, realmente.
A composição pelo versejar é sonora e leve. E tem um enredo focado, o que costuma ser ponto muito positivo.
Muito bom!
Vá adiante com seus projetos!


Beijocas
www.lizziepohlmann.com

Camila Iara. disse...

Palavras fortes, gosto disso.
Muito bom.

Mari disse...

"Eu gosto é do estrago", já ouviu isso?

Acho que não existe nada melhor do que colocar nosso mundo abaixo, aquele nosso mundo construído em cima de tijolos ocos. Que venha o céu, o oceano, o vento e a terra pra destruir tudo aquilo que já perdeu o sentido.

E depois da tempestade, a calmaria... "Que possamos nos perder para nos encontrar"...

Lindo o texto!

Laura Fernandes. disse...

A questão toda, é que tu és um filho duma mãe, querido :)

Tiago Júlio disse...

É tão bom receber o carinho de um público tão fiel. (:

Laura Fernandes. disse...

Ahahahaha! (depois dessa: não pude evitar, hein?!)

Cristiane Oliveira disse...

be-lo.

jessy disse...

seus textos são quase agressivos e doces ;x
se eu fosse manteiguinha, ia ficar emocionada -q

muito bom :)

GLAUBER LEONARDO ALMEIDA disse...

adoro textos como o seu abracos

Tiago Júlio disse...

hahah.

Vírgulas, vírgulas!

Karine disse...

"Eu quero ver o oceano lavar
Nossa imundice tão humana
O estrago de ambições idiotas
Para dançarmos finalmente livres
Em cima do mundo revogando"


Eu também, eu também.

Jaya disse...

O mundo sendo foda.

Naquele: sempre foi-é-será.

E só.